Santo Antônio de Leverger, 16 de Dezembro de 2018
  Navegue:
Resgate Histórico
Eventos Sociais
Esporte
Política
Cultura
Saúde
Cidades
Pesqueiros / Pousadas
Dicas de pesca
Gastronomia Regional
Em sua opinião o Município deve proceder de que maneira com o morador que joga entulhos em vias públicas
Votar
Ver Parcial

noticias
Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
ESTRADA DE SANTO ANTÔNIO
Justiça condena PMs flagrados recebendo propina de motorista na rodovia Palmiro Paes de Barros
19/07/18
Por: Redação - Leverger News
Fonte: Midianews

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Conselho de Sentença da Justiça Militar de Cuiabá condenou dois soldados da Polícia Militar que foram flagrados recebendo dinheiro de um caminhoneiro no posto da Rodovia Palmiro Paes de Barros (MT-040), em Santo Antônio de Leverger (a 100 km de Cuiabá). A decisão foi publicada nesta semana. Os juízes militares, tenente-coronel Luciana Braga Brandão da Silva, major Heitor Alves de Souza e os capitães André Luiz Deschamps e Diego John Guindani Silva, acompanharam o voto do relator, o juiz Murilo Moura Mesquita, da 11ª Vara Criminal Especializada da Justiça Militar. O soldado M.F.B. foi condenado a dois anos e três meses de reclusão. Já M.A.A.C. foi condenado a dois anos e oito meses. Ambos vão ter o direito de recorrer em liberdade. 

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o caso ocorreu em agosto de 2010 e foi filmado por uma equipe de televisão que realizava uma reportagem investigava sobre a cobrança de propina por parte de policiais na rodovia. Os PMs chegaram a ser presos na ocasião, mas foram soltos meses depois. Eles também foram afastados da corporação. No que tange ao mérito, compulsando os autos, constata-se que a materialidade da conduta criminosa está satisfatoriamente comprovada por meio da portaria de fl. 17, da escala de serviço de fl. 22, dos arquivos digitais contendo a gravação do fato e a sua veiculação pela imprensa local e nacional (fls. 95 e 384), bem como pelas declarações prestadas pelas testemunhas durante a instrução processual. Consta na denúncia que os dois PMs estavam de serviço no Pelotão do Trevo de Santo Antônio de Leverger, onde efetuavam abordagens de rotina nos veículos.

O motorista, que não foi identificado/localizado, visando se desvencilhar de eventual multa ou apreensão da carga que transportava, perguntou ao policial se haveria outra maneira de resolver a situação. Segundo a denúncia, o PM encaminhou o motorista para o interior da unidade policial e lá passou a tratar sobre valor exigido para liberar a carga, afirmado: “A gente não tem prazer nenhum em fazer isso daí”, referindo-se d apreensão. 

O policial, então, exigiu R$ 500  para liberar a mercadoria, tendo o motorista afirmado que só tinha R$ 300, valor este que seria destinado à sua alimentação na estrada, ressaltando que estaria disposto a pagar R$ 200, o que foi aceito pelo policial com a concordância do colega de farda M.A. Em determinado momento, o policial M.F. abordou um caminhão carregado de madeira, cuja metragem, a princípio, mostrou-se irregular, pois o caminhão levava 30 metros cúbicos do produto e a nota fiscal estampava apenas 23. Na ocasião, o PM explicou o procedimento que seria adotado à vítima, dizendo em tom intimidador: “Diante dessas evidências a gente encaminha vocês ‘pra’ perícia”, “eles medem tim-tim por tim-tim”.

O motorista, que não foi identificado/localizado, visando se desvencilhar de eventual multa ou apreensão da carga que transportava, perguntou ao policial se haveria outra maneira de resolver a situação. 

Segundo a denúncia, o PM encaminhou o motorista para o interior da unidade policial e lá passou a tratar sobre valor exigido para liberar a carga, afirmado: “A gente não tem prazer nenhum em fazer isso daí”, referindo-se de apreensão.  

O policial, então, exigiu R$ 500  para liberar a mercadoria, tendo o motorista afirmado que só tinha R$ 300, valor este que seria destinado à sua alimentação na estrada, ressaltando que estaria disposto a pagar R$ 200, o que foi aceito pelo policial com a concordância do colega de farda M.A.

O juiz Murilo Moura Mesquita da 11º Vara Criminal Especializada da Justiça Militar
O juiz Murilo Moura Mesquita da 11º Vara Criminal Especializada da Justiça Militar

A condenação  

Ao analisar a denúncia,  o juiz relator afirmou que as provas dos autos deixam clara o crime praticado pelos policiais.  

“No que tange ao mérito, compulsando os autos, constata-se que a materialidade da conduta criminosa está satisfatoriamente comprovada por meio da portaria de fl. 17, da escala de serviço de fl. 22, dos arquivos digitais contendo a gravação do fato e a sua veiculação pela imprensa local e nacional (fls. 95 e 384), bem como pelas declarações prestadas pelas testemunhas durante a instrução processual”, disse.  

“Com relação à autoria, os elementos probatórios coligidos aos autos não deixam dúvidas acerca da prática do crime de concussão por parte dos acusados, especialmente diante das declarações prestadas pela testemunha N.R.B., que estava acompanhando a vítima no momento da exigência e filmou toda a ação criminosa para a produção de uma reportagem, a qual foi veiculada pela imprensa nacional e local”, afirmou. 

O magistrado destacou que não há que se falar em flagrante preparado, pois os policiais não foram induzidos ou instigados a praticarem o crime, fazendo-o por livre e espontânea vontade. 

“A testemunha N.R.B  foi categórica ao afirmar que, em momento algum, a vítima ofereceu qualquer vantagem aos policiais militares. Desse modo, os elementos probatórios coligidos aos autos demonstram que, de fato, os acusados exigiram da vítima vantagem indevida, no exercício de suas funções, não havendo que se falar em desclassificação para o crime do artigo 324 do CPM", relatou. 

“Assim sendo, amplamente demonstradas a materialidade e a autoria delitiva, os réus devem ser condenados pela prática do crime de concussão, previsto no artigo 305 do Código Penal Militar. Dispositivo desta forma, julgo procedente a denúncia e, por consequência, condeno os réus qualificados nos autos nas penas do artigo art. 305 do código penal militar”, decidiu.

Atenção! Os comentários e opiniões são de responsabilidade única e exclusiva do leitor e não expressam, necessariamente, o ponto de vista do site. Ao comentar, o usuário declara ciência e aceitação deste termo de conduta dos comentários do site LevergerNews.
Nome:
E-mail:
Título:
Comentário:
Comentários Envie o seu
 
Não foi feito nenhum comentário para esta matéria até o presente momento
Mais Notícias
15/08/17
Há 41 dias no cargo, secretário consegue desinterdição e hospital retoma atendimentos à população
16/12/18
Polícia descobre esquema de grilagem de terras na região da Baia Chacororé
15/12/18
Valdirzinho aposta em "solução caseira" para alavancar a Ação Social da sua gestão
14/12/18
Ex-prefeito de Barão de Melgaço é condenado a 8 anos e 4 meses de prisão por desviar R$ 6,2 milhões
13/12/18
Justiça Eleitoral cassa mandato de Perozão e o suplente, Hamilton Silva assume em definitivo na Câmara
12/12/18
Dois criminosos são presos por assassinarem homem em comunidade rural do município
12/12/18
TCE pede intervenção do Estado no município de Acorizal
12/12/18
Prefeito nomeia ex-vereadora para comandar a Saúde de Leverger
12/12/18
Por unanimidade, Tribunal de Contas emite parecer favorável à aprovação das contas do prefeito Valdirzinho
12/12/18
Cerca de 400 pescadores estão com 2 meses de seguro defeso em atrasado
08/12/18
Valdirzinho é eleito presidente do CVRC e inicia caminhada para alçar vôos mais altos a partir de 2020
07/12/18
Mais de 150 kg de pescado irregular são apreendidos na comunidade Valor Verde
06/12/18
TSE mantém impugnação de candidatura de Fabris, mas deputado ainda aguarda recursos
04/12/18
Estudos indicam que 80% dos peixes estão em período reprodutivo
03/12/18
Polícia fez devassa em residências nas duas cidades por fraudes na Sema
03/12/18
Netos vetam a vinda de restos mortais de Marechal Rondon para Mimoso
30/11/18
Santo-antoniense é homenageado em sessão especial da AL por 25 anos de serviços à Educação de MT
30/11/18
Prefeitura de Santo Antônio realiza operação em trecho da MT-040 e dá mais segurança aos condutores de veículos
29/11/18
Justiça manda abater 2 mil galos apreendidos numa rinha em Santo Antônio
29/11/18
PM frustra roubo em chácara e prende 3 suspeitos
28/11/18
Santo-antoniense é empossado no cargo de defensor público-geral para o biênio 2019/2020
27/11/18
Prefeitura de Livramento anuncia cortes de servidores nesta semana
26/11/18
Peixes apreendidos em Santo Antônio são doados para instituições de Cuiabá
26/11/18
Vídeo mostra apreensão de filés de pintados e cacharas transportados em ônibus intermunicipal
23/11/18
Bombeiros encontram corpo de jovem desaparecido em cachoeira
23/11/18
Mais de 1,2 mil quilos de pescado irregular são apreendidos na região de Pantanalzinho
21/11/18
Jovem é arrastado pela água em cachoeira, desaparece e é procurado pelos Bombeiros
15/11/18
Fiscalização apreendeu 262 kg de peixes, entre jaús e pintados na região ribeirinha de Leverger
14/11/18
Prefeito institui verba indenizatória para si próprio e salário passa a ser R$ 24 mil
14/11/18
Vereador de Livramento aciona Polícia por suspeita de irregularidades na prefeitura
CYBORG - O HOMEM DE 6 MILHÕES DE DÓLARES

Homônimo de herói de seriado americano vai responder pelo Controle de frotas e veículos da prefeitura de Leverger

BONITO PRA XA CARA !!!

Comediante é vetado para subir ao palco em Leverger

DOCUMENTO PÚBLICO

Gerente da Prefeitura Santo Antônio é suspeito de assinar ordem para pagamento sem conhecimento e autorização do chefe

DEMOROU, MAS SAIU DE CENA

Ex garoto prodígio do prefeito de Santo Antônio é exonerado

A ÚLTIMA CEIA!

Dois secretários devem sentar pela última vez ao lado do prefeito Valdir, num jantar nesta quinta-feira

Mais notas
o Grandioso Santo Antônio faz parte de Leverger à exatamente 118 anos
Tayane de Andrade Castro
Viva Rondon
Allan Kardec
O que dizer da Mulher Levergense?
Redação - Levergense
Estrutura do Marketing
© Copyright Levergernews - Santo Antônio do Leverger, MT - Fone: (65) 3341-1799/8403-5258